Vitoriosa - Parte Final




Capitulo Final

Por um longo minuto tudo que houve foi dor, sufocante percorrendo sua coluna. Um incêndio desvairado cujas chamas se alastravam para fora das feridas abertas por seu corpo mutilado. Mas durou apenas um minuto. No seguinte estava estirada ao chão escutando as feras. Diferentes das outras essas formulavam frases ao invés de uivar. Estavam armadas não com garras e pressas, mas sim um raciocínio homicida. Jogadores. Contendo a dor entre seus dentes cerrados Amélia se arrastou para trás de uma arvore enquanto seus ouvidos decifravam o que diziam
Perigosamente próximos. Tratava-se de 4 jogadores que apesar das ácidas respostas se relacionavam com relativa cooperação. Exterminadores, era com chamavam competidores que se união em uma frágil aliança para caçar os restantes. Naquele exato momento estavam em uma caçada. Ratinha era como chamavam o alvo. Estavam se aproximando, revirando arbustos e pedras impacientemente. A julgar pelos sonoros passos e cliques metálicos, estavam pesadamente armados.
O plano original era deixá-los partir. Caçá-los um a um era o mais sensato. Com sorte até lá eles poderiam matar uns aos outros. Mas bastou o som de um galho se partindo sobre sua cabeça para desfazer qualquer estratégia.

New Conto - Vitoriosa





Capitulo 1

A lâmina escorregou por sua garganta como se sua carne não fosse nada alem de manteiga, no entanto o grasnar rouco cuspido por seus lábios entre sangue e saliva dizia que não era algo tão suave ou rápido. Com um movimento abrupto a espada arrancou a ultima parte da carne que prendia sua cabeça ao pescoço, e em um jorro escarlate o corpo foi ao chão enquanto a cabeça rolava como um melão podre alguns centímetros adiante.
O cheiro ferroso, porem bizarramente saboroso, fermentou para fora da ferida aberta e se infiltrou nas narinas de Amélia, capazes de identificar o aroma adocicado escondido, forçando sua garganta a se comprimir e a saliva encharcar sua boca enquanto suas veias agonizavam. Ignorando a câmera, ajoelhou-se e sem pudor aproximou seu rosto da ferida aberta de onde o sangue se derramava como cachoeira. Em um inspirar mais profundo, pôde sentir as enzimas no sangue envenenado. As artérias latejaram sob a carne em uma furiosa frustração. A sede era mais do que desconforto, era tortura física e mental.
Mas o que se poderia esperar? Um banquete real para uma traidora tão vil? Não. Ela deveria estar grata por não ter tropeçado em uma bomba oculta ou ter sido esquartejada em algum quarto diabólico, ainda. Porque todos sabiam o quão fácil era para a Instituição se livrar dos jogadores indesejáveis. Bastava um clique de um pequeno botão. E Amélia não era a favorita.

Assustadoramente Adoráveis

Nada de bichinhos de pelucia para mim. Chega dos my litle ponny e os ursinhos carinhosos molecada! Porque agora é a arte Amanda Louise de tornar monstros adoraveis que vai lhe consquistar. Apesar que se concentrar em seus produtos de perfumaria e criativos sabonetes, Amanda sempre encontra um tempo para seu excentrico hobbie, geralmente a noite. Feitos de pano e muita criatividade é impossivel você não se asssustar a primeira vista, e se apaixonar a segunda. Mesmo correndo o risco de levar um susto ao acordar abraçada a um desses carinhas eu realmente os quero.






A Hora do Espanto - Não é só zumbi que rescussita

Hei monstrinhos, vocês fazem idéia do quão feliz eu me encontro hoje? Dã, é logico que não, a não ser que você assim como eu seja um fã de clássicos de terror. Se for o caso, então essa noticia já é batida pra você.




Mas FINALMENTEE eles liberaram o trailler e o pôster do remake A Hora do Espanto (Fright Night), na verdade eles liberaram isso semana passada mas eu estive sem tempo pra postar, mas enfim eu estou com dedos dos pés, mãos e até tornozelos cruzados para que este filme seja tão bom quando o original embora o que mais tenha me empolgado até o atual momento é a perspectiva de ver Collin Farrel como um maldoso vampiro ( a minha lista de atores que gostaria de ver como vamps esta diminuido, yeees!). Seja em 3D ou não tudo o que eu peço é uma cena sem camisa, plis.







Ok, mas deixando os "sonhos de uma noite de verão" de lado, deixa eu clarer a mente daqueles que ainda não se familiarizaram com esse clássico do cinema. O filme conta a história do jovem Charles Brewster contra um vampiro que se muda para sua vizinhança, e terá em sua nova versão um elenco de peso: Colin Farell, Toni Collette, entre outros. A direção é de Craig Cillespie, responsável pel seriado The United States of Tara. Já o roteiro é assinado por Martin Noxon, que também escreve a série Mad Man.
A nova versão de A Hora do Espanto, que vai contar com sessões 3D, estreia em 19 de agosto nos Estados Unidos. No Brasil, o fime só deve chegar em outubro ( Oh Crap ¬¬')

Eu amei o pôster, embora uma amostra de dentes não seria tão mal, mas certamente é um bom avanço visual do original (ao qual confesso, nunca fui lá tão fã) mas o que você me diz? Você é dos classicos ou uma modernizada faz mais seu tipo?

























E por ultimo mas não menos importante, o TRAILLER !

Sapatinhos de cristal is over !

No meio da moda não há nada mais democrático e elegante do que o velho e fiel sapato. Não importa sua altura, porte fisíco ou idade, sempre havera um sapato para seu estilo que lhe cabera como uma luva e elevara sua auto-estima mais do que apenas sua altura. E assim como os vestidos, chapéus e tudo o mais, o inseparavel amigo de nossos pés tambem merece suas versões mais do que ousada e inspiradas, e o designer Kobi Levi tem o cuidado de levar o termo "conceitual" a niveis deliciosos com seu estilo inusitado mais apaixonante.

A pergunta é, tem algum do meu tamanho?
                   

Toda Sexta-feira é 13

Como vão, meus monstrinho?

Não é segredo de estado que eu não sou a maior fã do folclore local, e não joguem suas pedras sobre mim, eu simplesmente não consigo me assustar com uma mula desmiolada ou um garotinho com má formação nos pés (e para aqueles que sentem medo, por favor deixe seu testemunho, quem sabe me converta). Mas, pra não dizer que o Brasil está desfalcado dos classicos monstros eu lhe trago esta historia. Um exemplo bastante claro do porque "abrasileirar" nunca me soou como um elogio. Mas os gritos podem vir, em forma de riso é logico

Freak Show Da Vida

Eu poderia escrever um longo texto explicando a crueldade das provas, mas sou daquelas que acredita que uma imagem vale mais do que 15 paragrafos, entãoo...



Raciocínio Ilógico - A Morte Doce



Oi, como foi seu dia?

O meu foi legal. Na verdade eu estou feliz. Ai você se pergunta, porque G, você está feliz? Ou talvez você esteja pouco se fudendo ( sim eu escrevo palavrão, viva a liberdade poética!) pra essa merda. Mas eu vou falar mesmo assim porque afinal de contas eu estou feliz. ;D
Hoje eu estava no mercado, empurrando meu carrinho entupido de cafeína, chocolate e pizza congelada ( pra quem não noto, eu sou uma abominação na cozinha, VIVA AS COMIDAS CONGELADAS!) quando eu estava passando pelo corredor de doces sem nenhuma expectativa rumo ao caixa quando eu me deparei com isso:
 
Quem se lembra da bala Soft?
Se você tem menos de 16 anos pergunte para seus pais sobre esse famigerado doce, certamente eles já foram vitimas desta guloseima assassina, ou ao menos tem algum caso em sua família de alguém que morreu sufocado com a balinha.
Enfim, esse doce saboroso, viciante e atrativamente colorido e de preço acessível foi há algum tempo o método de matar alguém mais viável e doce para grande parte da população brasileira.  Essa bala foi projetada em um formato anatômico com uma superfície extremamente lisa, especialmente projetado para encaixar-se com perfeição na traqueia de qualquer um. Criança, adulto, velho, cachorro... Dane-se se sua goela era larga ou estreita, a balinha ia travar ali. E se não bastasse ela era tão gostosa, e havia tantas no pacote que por mais que você se lembrasse que aquela porra ia te matar, lá estava você enfiando mais uma na boca.
À bala Soft era tão perigosa que servia de teste para constatar o nível de coragem de alguém. Macho que era macho tinha que chupar duas em seguida (obviamente só Chuck Norris era capaz de fazer tal ato sem morrer) O que me deixa puta agora em lembrar, é que os pais compravam pacotes e mais pacotes para as crianças, e mais sacanagem ainda, no Hallowen era só isso que você descolava nas casas alheias de seu bairro. Eu ao menos cheguei muitas vezes em casa com um saco cheiro de bala soft, goiabada e paçoca (uma dica clara que a vizinhança não curtia muito a minha pessoa se pensar agora...). De qualquer forma, quando você queria dar uma dica pra pessoa que você não gostava nem um pouco dela, era só dar uma bala Soft. Quanto mais bala soft você ganhava de alguém, mais essa pessoa de odiava (se você ganhasse um pacote fechado era melhor correr para buscar segurança da policia ou então ir comprar uma arma, e logo).
O que ninguém sabe é que inicialmente à bala Soft na verdade era uma arma de guerra do serviço secreto americano, responsável pela queda de muitos governos opressores e terroristas extremistas. Sua cor atrativa e sua aparência inofensiva eram os atrativos necessários para que o inimigo subjugasse a perigosa balinha que assim que chegava a boca do infeliz era atraída magneticamente(?) para a garganta e lá se instalava permanentemente,( já que a desgraça não dissolve!). No entanto, devido a dívidas,crises econômicas e direitos humanos o serviço secreto americano resolveu se livrar do estoque da arma, agora conhecidíssima dos inimigos, para arrecadar fundos para tapar suas dividas. O Brasil arrematou todo o estoque para dar inicio a seu elaborado plano de redução populacional, evitando assim crises economicas com os aposentados, já que haveria muito menos pessoas que conseguiriam atingir os 60 anos.
De qualquer modo eu estou feliz por reencontrar essa balinha, a qual chamo carinhosamente de “A  morte doce”, afinal isso me dá certo orgulho quando penso que eu sobrevivi a esse doce, (não ilesa ou sem historias). É eu sou uma pessoa nostalgica. E sim eu comprei um pacote da bala, só para me garantir contra uns malas persistentes em minha vida. Mas tudo isso me deixou com uma pergunta na cabeça, quantas pessoas essa merda ja matou?
E voce? Já se engasgou?

Um Desafio pra descontrair

Nesta semana fui indicada pela A.F do blog Alma da Noite para um delicioso desafio. Algo que adorei, pois me deu uma maravilhosa desculpa pra expressar meu vicio por vampiros e sonhos ocultos. Mais vamos evitar o bla bla bla, e vamos brincar (segundo as regras):
1º -  Levar o banner do desafio- Ok

2º -  Visitar quem te mordeu - Ok
3º - Marcar cinco outros blogs e avisá-los – posso colocar "2/5 Ok"? 
algo difícil porque não conheço muitos blogs que não tenham sido indicados, não que conheça muitos outros blogs então só vou indicar 2 e quem não gostar, me processe.
 Mundo da Noite
Sucker for Vampires


4° Responder a uma série de perguntas - OK

1 – Gostaria de ser um (a) vampiro (a) e viver eternamente?
Vampiro quer sangue? É lógico que sim! Quem sabe com o tempo ilimitado eu não consiga esvaziar um pouco a minha gaveta de planos e sonhos mirabolantes? Alem do mais, imagina quantos livros eu poderia ler?!
2 – Se fosse um (a) vampiro (a) como gostaria de ser chamado (a)?
Ah, como eu freqüentemente sou chamada pelo meu apelido, creio que seria legal agora ser chamada apenas pelo meu nome. Afinal Gabi não fica tão legal pra um vampiro. Gabriela soa melhor.
3 – Qual a idade que gostaria de ter pra sempre?
20 anos é a idade ideal, não muito nova pra ser barrada em um bar, mas não velha demais para perder o charme da adolescente.
4 – Qual seria sua aparência?
Como eu já tenho uma aparência magrela e pálida de vampiro, acho que não mudaria nada alem da cor dos meus olhos. Não seria nada mal um preto profundo se transformar em um verde oliva, quem sabe até vermelho.
5 – Seria do bem ou do mal?
Partindo do preceito de que tudo não passa de um conceito, então acho que dependeria do ponto de vista.
6 – Viveria entre os humanos ou seria solitário (a)?
Eu me divertiria com os humanos, mas não abriria mão de uma solidão segura e confortável.
7 – Conseguiria viver de sangue humano ou seria um ser “vegetariano (a)”?
Levando em conta o quanto posso diminuir o nível de criminalidade de um local eu facilmente posso dizer que seria sangue humano a única opção em meu cardápio. Alem do fato de não ser uma boa vegetariana, porque os animais seriam melhores que os humanos?
8 – Qual seu vampiro (a) da ficção favorito?
Não há ninguém melhor pra representar a classe vampiresca do que o príncipe moleque Lestat.
9 – Qual seu livro sobre vampiros favorito?
Eu diria Rainha dos Condenados.
10 – Assiste algum seriado sobre vampiros atualmente?
True Blood, e quando dá vontade Vampire Diaries
11 – Indique um filme sobre o assunto:
Eu acho que o melhor filme até agora é Entrevista com o Vampiro, já que não há nenhum daqueles horríveis clichês encontrados em filmes de vampiros. Sabe, roupas de couro e maquiagem gótica.
12 – O que você acha da saga Crepúsculo?
Uma maneira criativa (não há como discordar que vendeu!) de tornar um romance adolescente interessante, embora o brilho purpurinado ainda me doa no coração.Mas literatura vampiresca é que não é.
13 – Qual vampiro (a) mais lindo (a) da atualidade?
Eu vou ter que dizer Damon Salvatore.
14 – Qual o casal mais lindo?
Louis e Claudia.
15 – Prefere um anjo ou um vampiro?
Vampiro é claro! Qual a graça em anjos?
16 – Preferiria namorar um (a) lobisomem ou um vampiro (a)?
Vampiro, eu não ia me acostumar com o cheiro de cachorro pela casa.
17 – Se fosse um vampiro (a) namoraria um humano (a)?
Sim, mais vai depender do gosto.
18 – Se os vampiros (as) existissem se apaixonaria por um?
Eu já estou.
19 – Se fosse um vampiro (a) seria vingativo?
É claro. Quem disse que vingança não é boa é porque nunca se vingou direito. Não há melhor terapia para se livrar de rancor, elevar sua auto-estima e aliviar a pressão do que uma vingança bem executada. É um remédio muito mais rápido do que o tempo. O truque é ser sutil e discreto.
20 – Seria belo (a) ou monstruoso (a)?
Depende da ocasião. Bela nos gestos... Talvez monstruosa nos atos se preciso.
21 – Qual poder gostaria de ter?
Hum, acho que o pacote básico de poderes vampirescos. Força, velocidade, ler mentes embora eu goste muito do lance de hipnose.
22 – Conseguiria ficar longe de sua família?
De alguns membros com toda certeza, já os outros eu os transformaria, botaria embaixo do braço e levaria comigo.
23 – Se vivesse eternamente o que gostaria de fazer nesse tempo todo?
TUDO! Viajar por todos os continentes, ler tudo quanto é tipo de livro, ver tudo quanto é tipo de filme, peça, aprender vários idiomas e tocar piano, violão, guitarra e tudo o mais que me desse vontade por esses intermináveis dias. Praticaria esportes radicais, daqueles que se tem medo de fazer por temer ter um ataque cardíaco. Carpe Diem seria minha filosofia.
24 – Quais lugares moraria?
Montaria residência fixa em Paris mas passaria algumas décadas na Inglaterra, Itália, ou melhor, viveria em toda a Europa, e NY e Nova Orleans é claro.
25 – Teria coragem de transformar alguém em vampiro (a)?
Depende, se eu soubesse que não iria me enjoar dessa pessoa daqui a 100 anos com certeza. Brincadeira, creio que por amor sim.
26 – Qual seria seu pior inimigo (sobrenatural)?
Eu não sei, mas com certeza eu iria me divertir muito com eles.

Bem missão comprida, e espero não ter assustado muito de vocês.
Até a proxima meus monstrinhos

Book, Blood Book

E lá vamos nós com mais um de meus achados. Este eu encontrei no blog  " Quer Me Dar?" que a propósito é parceiro do A Drop Of Freak e tem cada objeto delírio de desejo que nem vale a pena começar a dizer com medo de não mais parar... Enfim, vamos ao que me chamou a atenção.

Para o delírio dos vamps de plantão, e vamplovers. Idéia de japas, esse liquido vermelho ai é vendido em uma embalagem a vácuo e quando ele entra em contato com o ar endurece, e vira tipo aquelas gelecas que você compra em loja de 1,99 ou nos balcões do caixa das lojas americanas, Enfim, você cata essa geleca, e joga na capa do seu livro e tcharam!!!! Seu livro esta sangrando!!! Uaauuuu!



Informações extras: esse líquido vem nas cores preto e branco também, mas... Qual a graça?
E pra tristeza só vende no Japão.T.T

Porque Toda Sexta Feira É 13

 Já que esse mundo é Freak, e que a dona do pedaço adora um bom terror pra descontrair, nada melhor do que reservar as noites de sexta pra dar aquele grito em baixo do cobertor na frente do computador. E pra começar sem espantar metade do povo que esta lendo isso agora, resolvi escolher um vídeo não muito assustador, de fato ele mal tem cenas violentas e vai lhe fazer lembrar muito como "O homem bicentenário" ou "AI: inteligência artificial". O que eu quero dizer, é que não ira encharcar seu monitor de sangue, embora possa cair uma mancha ou outra na tela.
 

O curta metragem que vou postar foi feito (e muuuuuito bem feito) por Ruairi Robinson e se chama Blinky, e conta a historia de um garoto solitário, que para lidar com a falta de afeto dos pais para com ele, já que vivem discutindo, resolve pedir um robô domestico de ultima geração pra suprir essa necessidade. Com uma qualidade impecável de imagens Blinky nos mostra que mesmo em meio a um mundo tecnológico, você não pode substituir certas coisas.

Se interesso? Então clique na imagem, e se impressione, apaixone e torne-se amigo de Blinky.


Ser Viking não é facil...

Antes de qualquer coisa, deixe-me já esclarecer um detalhe. Não, não tem nada haver com o deus-nordico-loiro-avassalador Erick, é sobre outro Viking que vou escrever hoje ok? Mas pra não desmotivar geral, aqui vai uma gif pra consolar os hormônios despertos pela mera palavra Viking, a qual já estamos condicionadas a relacionar ao Erick



O Viking da vez é Biorn. (Who?)

A Saga de Biorn nada mais é do que um curta animado muito bem feito (mas muito mesmo) que narra a historia de Biorn, um típico Viking que passas suas horas livres desbravando vastidões de terrenos inóspitos atrás de uma batalha sangrenta que lhe renda glorias, e onde possivelmente possa morrer como um guerreiro e deste modo alcançar Valhalla (o céu dos Vikings, onde tem muita cerveja, zoação e tudo o que um Vinking típico deseja). No entanto, boas batalhas estão em falta no mercado, e morrer honrosamente em não é nada fácil.
Com muita ironia, The Saga of Biorn tem um desfecho genial e completamente inesperado, com um humor inteligente e sarcástico na medida certa.